Clamídia: Pode causar infertilidade?

Atualizado: Jul 30




Clamídia é uma doença sexualmente transmissível (DST) causada pela bactéria Chlamydia trachomatis. É a DST de maior prevalência no mundo, afetando cerca de 4,2% das mulheres e 2,7% dos homens. Ela é uma das causas da infertilidade masculina e feminina e pode ser transmitida da mãe para o feto.


A infecção atinge especialmente a uretra e órgãos genitais, mas pode acometer a região anal, a faringe e ser responsável por doenças pulmonares.


A mulher infectada pela Chlamyda trachomatis durante a gestação está mais sujeita a partos prematuros e a abortos. Nos casos de transmissão na hora do parto, o recém-nascido corre o risco de desenvolver um tipo de conjuntivite (oftalmia neonatal) e pneumonia.




Sintomas


A maioria dos casos da clamídia, entre 70 a 80% não apresenta sintomas. Quando eles ocorrem, isso acontece geralmente de uma a três semanas após a exposição à bactéria causadora da doença.


Cerca de 30 % das mulheres com clamídia apresentam sintomas.

Os mais comuns são:

  • Corrimento amarelado ou claro;

  • Sangramento espontâneo ou durante as relações sexuais;

  • Dor ou ardência ao urinar e/ou durante as relações sexuais;

  • Dor no abdômen inferior (pé da barriga) e na parte de baixo das costas;

  • Náusea e febre.


Um em cada 4 homens com clamídia não apresentam sintomas.

Os mais comuns são:

  • Dor ou ardência ao urinar;

  • Corrimento uretral com a presença de pus;

  • Dor nos testículos;

  • Coceira ao redor da abertura do pênis.

Diagnóstico e Tratamento


Não existe vacina contra clamídia. Mas o tratamento é simples.

Se você ou seu cônjuge apresentar algum dos sintomas, procure ajuda médica para obter o diagnóstico. Leve seu cônjuge na consulta, porque, em alguns casos, os dois precisarão fazer os exames e tomar os antibióticos específicos.


Qual especialidade procurar? Clínico geral, infectologista, urologista ou ginecologista.


Siga sempre à risca as orientações do seu médico, NUNCA se automedique e não interrompa o uso do medicamento sem consultar o médico.

Durante o tratamento médico, a orientação é evitar ter relações sexuais.


Prevenção


Por ser uma doença sexualmente transmissível, a única maneira de não contrair clamídia é não mantendo relações sexuais. Mas o uso de preservativo durante a relação sexual diminui a chance de contaminação.


Você sabia?


  1. Clamídia e gonorreia são infecções que, com frequência, estão associadas.

  2. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a doença é responsável por 25% das causas de infertilidade, sendo 15% nas mulheres e 10% nos homens.

  3. De acordo com estudo elaborado em 2011 no Brasil pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, cerca de 10% das jovens na faixa de 15 anos a 24 anos, atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), são identificadas com a doença.

  4. Essa doença é a mais frequente em pessoas que tenham múltiplos parceiros e que não costumam usar preservativo.

  5. A infecção por clamídia é reconhecida pela Organização Mundial da Saúde como a principal causa evitável de infertilidade, com 92 milhões de novos casos anuais diagnosticados.

#expandmedico #saude #dst #clamidia

2 visualizações

Expand Médico Ltda

Av. Wladimir Meirelles Ferreira, 1585. Sala 15. Jardim Botânico. Ribeirão Preto. SP

atendimento@expandmedico.com.br

Telefone: (16) 2111-9777 / 99316-2490